sábado, 3 de junho de 2017

MSX 2+ Panasonic A1 WX

   Aos 41 (quase 42) anos, 26 anos após ganhar meu primeiro MSX, um Gradiente Expert DDPlus (veja aqui), criei coragem, arranjei a grana e comprei um MSX 2+.

   É um computador de 1988, ou seja, já tinha sido lançado (e estava sendo usado) desde antes que eu tivesse ganho o meu primeiro MSX, que era um 1.1. Mais uma vez, obrigado, "Reserva de Mercado".

   O modelo que comprei é um Panasonic FS A1WX.

(Taí o bichão) 

 (Reparem as duas entradas para Joystick, 
compatíveis com os do Atari, e o Drive 3.5")

(O botão "Power", nessa lateral) 

 (Visto de cima; reparem no Slot 1 para Cartucho)

(Os conectores de Data Corder, vídeo e áudio, RF, impressora e o Slot 2)

   Pelas informações que encontrei, trata-se de um dos melhores MSX 2+ do mercado:
  • Usa o Zilog Z80B (e não o Z80A da maioria dos concorrentes), que permite alterar o clock do processador de 3.58MHz para impressionantes 5.38MHz!
    No MSX-Basic, essa mudança é feita com o seguinte comando:
IF PEEK(&H2D)=2 THEN OUT 64,8:IF INP(64)=247 THEN OUT 65,0
   Para retornar ao clock original, esse é o comando:
IF PEEK(&H2D)=2 THEN OUT 64,8:IF INP(64)=247 THEN OUT 65,1
  • Presença do MSX-Music (que está na maioria dos MSX 2+), que inclui uma série de comandos para facilitar a confecção de sons no MSX (lembro de como achava isso difícil no MSX 1).
  • O meu está com acréscimo de RAM. Originalmente ele tinha 64KB de RAM e 128KB de VRAM. Como dá pra ver na foto abaixo, ele está com 512KB de RAM 😊😊

  • Possui o Rensha Turbo, um feature para auto-tiro nos jogos 😊😊😊😊
  • Possui o MSX Word Editor em japonês, o MSX-JE, e o A1 Cockpit (um sistema com agenda, Editor de texto e outras coisas) muuuuiitttooooo úteis para mim, que não sei nada de japonês 😒😒😒😒
(A1 Cockpit) 

(MSX Word Editor - em japonês 😒)

   Vou colocar uns links abaixo, onde há informações mais detalhadas sobre o A1WX:
   Além do A1Wx, comprei também esse brinquedinho aqui:



   Nos anos 80, os computadores pessoais estavam passando um período de transição, deixando de ser vídeo games e transformando-se em computadores pessoais. O exemplo típico é esse A1WX! Tem um editor de texto, agenda, etc, mas tem Slots para entrada de cartuchos de jogos.

   No Japão, onde o padrão MSX foi desenvolvido (mas também na Europa), era comum a distribuição dos jogos em  cartuchos (em ROM). Entretanto, no Brasil, esses cartuchos eram, além de raros de serem encontrados, caros (quando encontrados). O padrão MSX reconhecia apenas 64KB de RAM, mas alguns jogos foram lançados com 128KB (128KB = 1 Megabit) ou mais. Os desenvolvedores dividam os jogos em "páginas" de 8KB e essas páginas eram carregadas e executadas sempre que necessário.

   No Brasil, porém, os cartuchos eram raridade (eu mesmo tinha apenas um cartucho do Mega Assembler da Cybertron e talvez tenha sido um dos poucos que usei) e cartuchos de jogos eram mais raros ainda. Um engenheiro brasileiro, Ademir Carchano, desenvolveu uma "gambiarra" para resolver esse problema. Ele desenvolveu uma "MegaRAM", uma "ROM" virgem, regravável, onde os jogos maiores eram quebrados em blocos de 8KB ou 16KB, copiados na sequência correta para essa RAM e utilizados quando necessário.

   Existia um outro equipamento, chamado Memory Mapper, que era uma extensão de memória utilizável, reconhecida como expansão oficial, acessada com suporte da BIOS (a MegaRAM não era reconhecida "oficialmente" e o acesso era diretamente por comandos IN e OUT). Alguns copiadores de disco da época utilizavam a MegaRAM como um Mapper para acelerar a cópia de discos.

   Voltando ao cartucho que comprei, nada mais é do que uma MegaRAM de 512KB e um Mapper de 512kB com dois leitores de cartão SD que funcionam de modo similar disquetes e HDs. O equipamento suporta o formato FAT12 do MSX-DOS 2.x e o FAT16 do PC através Nextor-DOS do Konamiman. Assim, é possível ler e gravar arquivos no PC ou MSX com SD formatado em FAT16, inclusive, com suporte a subdiretórios! Além disso, há uma chave seletora que ativa a função mapper/megaram e ativa extensão de slots e outra que seleciona entre o modo mapper ou modo megaram.

   Fiquei muitos anos sem usar meu MSX que estava guardado no porão na casa dos meus pais. Não sei quando, como e com qual grau de ansiedade a comunidade do MSX recebeu esse equipamento, mas a mim parece uma coisa simplesmente genial! Lembro de imaginar como seria legal se o MSX tivesse um HD. Esse sistema cria exatamente isso, pois aceita cartões de até 4GB formatados em FAT16 em um computador qualquer. E ainda um HD SSD, igual ao meu MacBook Air 😊. Simplesmente excelente!!! Custou pouco mais de R$200, já com os cartões formatados e com um monte de programas. Um preço bem satisfatório

   Deixo, para o leitor mais interessado nesse assunto, alguns links que usei para entender melhor o que é isso:
   Bom, abaixo tem algumas fotos do bichão funcionando:






   De tudo o que li para entender como utilizar um computador com quase 30 anos hoje, notei que a principal dificuldade foi o monitor. Vi muita discussão sobre monitores, frequências, etc. Tudo bem que era pra obter a melhor imagem possível (melhor até do que na época, talvez!), mas isso me assustou muito no início. Resolvi do modo mais barato possível, utilizando um monitor que já possuía :)

   Agora só falta um joystick para ele ;)

   Até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário