domingo, 21 de maio de 2017

Religando o MSX!!!

Olá pessoal,

   Antes de apresentar o novo morador daqui de casa, vai um breve resumo sobre o MSX.

   MSX é um computador de 8bits, criado no Japão no início da década de 1980 e que chegou ao Brasil em 1985, produzido pela Sharp (Hotbit) e Dynacom. Ainda em 85, se não me engano, a Gradiente também começou a produzir MSX (Expert) por aqui.

   O MSX revolucionou a informática no Brasil. Além do preço, significativamente mais barato que um PC na época, foi a plataforma em mais se produziu software no Brasil até aquela época. Cabe ressaltar que vivíamos na época da reserva de mercado "para que a indústria nacional se fortalecesse",  ou seja, as empresas tinham um gigantesco mercado fechado a elas e nada de novo era desenvolvido. Sobrava, para os brasileiros, mercadorias caras e tecnologia obsoleta. Como exemplo disso, o MSX quando chegou ao Brasil, era a versão 1.0, enquanto no resto do mundo já esperavam a 2 (que chegou em 1986). Quando a Sharp lançou o HotBit 1.2 (1987) e a Gradiente lançou a linha Plus (1989), o mercado interno imaginava que seria lançado a versão 2 por aqui. O resto do mundo já estava na versão 2+... Os brasileiros que quisessem ter um MSX 2 ou 2+ tinham duas saídas: contrabando (contrabando mesmo, não era descaminho) ou utilização de kits de transformação.

   Os kits eram placas colocadas dentro dos MSX 1 com expansão de memória, relógio interno, modificações diversas e, no final, a transformação em um MSX 2 ou 2+.

   Aos 15 anos ganhei um MSX de presente de aniversário, um Gradiente Expert DDPlus. Funciona muito bem, obrigado, inclusive o drive 3.5" e os disquetes! O bicho tem, é claro, sinais de uso, mas funciona sem problema algum, exceto a limitação de ser 1.0 e de ser "Plus". Tenho a caixa original, o manual e até os isopores originais :))




   Nunca pedi ao meu pai um kit desse, até porque teria que despachar meu MSX para SP (na época, morava no interior de Minas) e, pelo que me lembro, era caro. Assim, a única oportunidade que tive de ver um MSX 2 foi de um amigo que comprou um Hotbit modificado para 2, já usado (abraços: José Marcos, Paulo e Maurão).

   A vontade de usar um MSX 2 ou 2+ sempre existiu e era parcialmente satisfeita com a utilização de emuladores para Windows ou Mac. Cheguei até a comprar um Raspberry Pi 2 para fazer uma máquina exclusiva de MSX 2+, mas não funfou legal. A conclusão que tirei é que emulador é emulador e computador é computador. Por exemplo, havia alguns programas em BASIC que eu usava que utilizavam rotinas de obtenção da resposta de erro para fazer uma ou outra função. Isso foi impossível nos vários emuladores que usei.

   Depois que me mudei para BH para estudar, o MSX ficou para trás, continuou na casa dos meus pais no interior. Às vezes, nas férias, eu usava um pouco (recarregava alguns programas, jogava um pouco também) e guardava depois. Em 1998 ou 1999, resolvi encaixotar o MSX para preservá-lo de poeira e ferrugem.

   Em 2014, quando mudei para minha casa atual, consegui uma TV de tubo 14" que estava aposentada na casa da minha tia. Consegui autorização da esposa, arrumei um canto no escritório e liguei o MSX de novo. Cara... que decepção! A imagem estava simplesmente sofrível, péssima da péssima!

(Essa aí é a tal da TV 14")

   Não me lembrava que a imagem era tão ruim. Na verdade, como TV era o modo principal para o usar o MSX (exceto alguns que tinham um raro monitor dedicado para isso), a imagem devia ser assim mesmo... Não, não era não. Minha TV que tava ruimzinha e, com o raio da conexão de RF (aquela caixinha que ligava na saída de antena, igual no Atari), a imagem ficou um lixo mesmo! Mais uma brochada! Até poderia deveria ter tirado uma foto para vocês observarem a imagem, mas, na boa, não vale a pena nem documentar...

(O maldito comutador de RF)

   Fuçando na internet, percebi que alguns usuários de MSX estavam utilizando monitores mais novos, desses de plasma, LCD ou LED. Fiquei curioso de saber como eles faziam, mas como não teria onde por, até porque tratava-se de monitores específicos e mais antigos, acabei largando mão...

   O MSX ficou encostado aqui no escritório esperando uma oportunidade para ser usado. Como o MSX tem 3 tipos de saída de vídeo (RF, qualidade péssima; Vídeo Composto - não confundam com vídeo componente -, qualidade mediana para boa; RGB, com melhor imagem), que utilizam frequências diferentes das utilizada hoje, a entrada de vídeo do monitor/TV poderia ser queimada. Saídas digitais, como HDMI? Esqueçam, isso nem era sonhado na época! Só para esclarecer: Vídeo Composto usa 3 cabos (um para vídeo e 2 para áudio - veja mais aqui) e Vídeo Componente usa 5 cabos (3 para vídeo e 2 para áudio - veja aqui).

   Um dia, numa lista de discussão, resolvi perguntar como eles estavam fazendo. A resposta me deixou chocado, porque percebi que poderia usar em monitores comuns e TV mais nova! Isso foi o que me passaram:

1) ligar o MSX num monitor com entrada Vídeo Composto (é o jeito mais simples, mas com alguma perda de qualidade);

2) ligar o MSX numa placa GBS8200 e ela ao monitor (também há uma perda de qualidade, além de ter que arranjar essa placa GBS8200 e criar um gabinete para ela);

3) ligar a saída RGB do MSX na entrada VGA de um monitor que aceita 15 Khz. Um conversor LM1881 converte o sinal de sincronismo e os sinais de vídeo passam direto (tem a melhor imagem, mas precisa de um cabo especial porque a saída RGB do MSX é diferente; ainda precisa de uma conversor E de um monitor com entrada 15KHz).

   Na boa, tenho mais coisa pra fazer que escovar bit. Assim, as opções 2 e 3 estavam fora de cogitação e a 1 iria ter que funcionar. De qualquer jeito!

   Descobri que uma TV encostada na casa dos meus pais possuía a entrada vídeo composto. Testei e ficou assim:




   Ok, ficou bom, mas a TV era MUITO grande! 32", no lugar onde estava, era gigantesca! Queria algo menor. Usava antes um Monitor TV LG M2252 que tem entradas HDMI e vídeo componente, mas não vídeo composto.

   Resolvi comprar um conversor de AV (Vídeo Composto) para HDMI e ver se funcionava. Foi esse aqui:





   Para poupar conversa e seu tempo, caro leitor: não funcionou! Passou o som, mas não a imagem, não importava o que eu fizesse. NÃO RECOMENDO! Desperdicei uns R$70,00 aqui :( . Paciência, próximo passo.

   Lendo alguns fóruns na internet, achei um onde um cara falou que tinha ligado um PS3 (com vídeo composto) na entrada de vídeo componente da TV dele e tinha funcionado. Olhei meu monitor e percebi isso aqui quando trocava de fonte de vídeo:

(Lista de entrada do LG M2252 - e esse AV aí?)

   Ora, meu monitor não tem entrada composta (esse AV), apenas componente. Mais detalhadamente, reparem nas cores das conexões:

(Amarelo com verde?)

   O próprio monitor, na tela com a lista de entradas, mostra que ao se ligar os cabos branco e vermelho para áudio e amarelo no Y da entrada Vídeo Componente (que é verde), você terá... Vídeo Composto! A informação do cara lá do fórum pode funcionar!

   O MSX tem uma saída de áudio e uma de vídeo. Então seria - áudio (qualquer cor) em áudio e vídeo (qualquer cor) em vídeo (entrando no Y - verde).

   Pois bem, criei coragem e testei aqui:



   Funcionou! It's alive!!!!!

   Agora sim, cores perfeitas, imagem show (tá ótima pra um computador de 27 anos, né?), som bala! O MSX aqui em casa tá pronto para funcionar e já tá funcionando :)

   Assim, descobri o jeito mais fácil de ligar esses equipamentos antigos (VCR, retrocomputdores, etc) - em vídeo composto!

   Por sugestão, mais que óbvia e justa, da leitora Patrícia Pádua, vou postar os painéis traseiros dos meus 02 MSX, com e sem as conexões. Como ambos os MSX têm saída mono, é necessário apenas um cabo de áudio (optei por manter o vermelho em ambos). O cabo amarelo (saída de vídeo) é conectado no Y do monitor (verde). Vejam:

(Painel traseiro do Expert DDPlus)

(Painel traseiro com o cabo vermelho na saída branca de
áudio e com o cabo amarelo na saída amarela de vídeo)

(Neste MSX, a saída superior é de vídeo e receberá o cabo
amarelo; a saída inferior é de áudio e receberá o cabo
vermelho)

(Painel traseiro do monitor - para ser vídeo componente, usa-se
as cinco entradas; para vídeo composto, usa-se a Verde -Y - e 
as duas de áudio - vermelho e branco)

(Cabo amarelo de vídeo ligado no Y e, como os meus 02 MSX
têm saída de áudio mono, liguei apenas no vermelho de áudio)

   É isso, espero ter ajudado. Obrigado, Patrícia, pela sugestão!
   
   Se você, caro leitor, foi mais atento, reparou no novo morador daqui de casa ;)

   Até o próximo.

2 comentários:

  1. Boa noite Jayme!
    Você poderia, por gentileza postar uma foto da traseira do monitor, onde fez a ligação dos cabos, para eu ver como ficou as cores/conexões ? Não consegui entender muito bem da forma que explicou...
    Estou com a mesma aventura aqui de ligar um Hotbit num monitor de LCD meio antigo que tenho aqui. Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patrícia, boa noite.

      Acrescentei as fotos no post. Obrigado pela sugestão de mostrar o resultado final.

      Excluir